Busca

Acidentes domésticos vs. Crianças: como evitar e não superproteger ao mesmo tempo

Por Instituto MRV amicd

publicado em 26/07/2021

Você sabia que 90% dos acidentes domésticos podem ser evitados com atitudes razoavelmente simples?

Quando temos crianças e bebês em casa, todos os cômodos e utensílios parecem ser uma ameaça iminente à segurança: desde as tomadas até produtos de limpeza guardados na área de serviço. Afinal, muitos dos pequenos estão naquela fase de querer experimentar as novidades do mundo por meio das mãos e da boca.

Porém, privar 100% a criança de qualquer experimentação não parece uma boa ideia para seu desenvolvimento. Nessas horas, entra o paradoxo: como proteger e libertar nossos filhos ao mesmo tempo? Qual o limite entre a necessidade de proteção e o excesso descabido de preocupação

Calma. A primeira coisa a se pensar é em adaptar os lugares que a criança frequenta. Além disso, não se esqueça que os riscos e tipos de acidentes também mudam conforme a idade e as habilidades que ela adquire.

Veja abaixo o que você pode fazer dentro de casa para evitar problemas:

Na cozinha

  • O bujão de gás deve ficar do lado de fora.
  • Tomadas elétricas devem estar protegidas e, fios, presos e recolhidos.
  • Materiais de limpeza devem estar em suas embalagens originais e fora do alcance das crianças, em armários altos e trancados.
  • Além de utilizar os queimadores (bocas) do fogão da parte de trás, deixe os cabos de panela virados para dentro e para trás.
  • Objetos cortantes devem ficar fora do alcance das crianças, em gavetas e armários com travas.

No banheiro

  • Armários contendo cosméticos, medicamentos e aparelhos elétricos devem ser mantidos trancados e longe do alcance.
  • Não use chave para ligar o chuveiro, se for elétrico. O indicado são disjuntores de 20 ou 30 Watts.
  • A fiação deve estar em bom estado e presa no alto. As tomadas elétricas novamente devem estar protegidas. Tire delas aparelhos elétricos fora de uso.
  • As tampas dos vasos sanitários devem ser mantidas fechadas e travadas.

No quarto das crianças

  • Prefira camas com largura de 80 cm a 1 metro com proteções laterais, e os espaços entre as grades devem ser de 5 a 7 cm para evitar que as crianças prendam a cabeça.
  • Os móveis não devem ter cantos pontiagudos, mas arredondados, para evitar lesões.
  • Cobertores e lençóis devem ser presos no pé da cama, para evitar asfixia.
  • Janelas devem ter proteção e não ter nenhum móvel embaixo para evitar quedas.
  • Ah, as tomadas!

Na sala

  • Aparelhos eletrônicos devem ser mantidos fora do alcance das crianças, com fios curtos e presos.
  • Fósforos e isqueiros também devem ser guardados em armários altos e trancados, evitando risco de incêndio.
  • Móveis devem ter pontas redondas (ou, então, proteja com espuma as quinas do que não forem arredondados).
  • Plantas ornamentais e portas de vidro devem ser evitadas ou sinalizadas para evitar intoxicações ou traumas.
  • Cortinas não devem ter puxadores para evitar enforcamento.
4.064 voluntários já participaram das nossas ações

Testemunho do nosso time

Compartilhe:

Quer conhecer mais um dos nossos projetos?

Clique aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

EducaçãoEducar para transformar

Começar a ler cedo faz bem

Leia mais
EducaçãoProfessores

Olimpíada Brasileira de Matemática está com inscrições abertas

Leia mais
Variados

Amamentação: 4 razões pelas quais o leite materno é poderoso

Leia mais

Assine nossa newsletter!